O Comércio Exterior em tempos de Coronavírus


Em meados do mês de março de 2020, a Organização Mundial da Saúde (OMS) classificou o novo Coronavírus como pandemia, após mais de 115 países confirmarem casos de infecção. Diante de um cenário de incertezas, e de um mundo em transformação, fica evidente a necessidade de as empresas reinventarem as suas formas de pensar e fazer negócios.

Cada vez mais, as empresas deverão se valer da transformação digital para se aproximarem dos clientes. O cliente quer agilidade de resposta e obter as informações de produtos com um clique na web. Assim, a entrega de valor no mundo virtual tornou-se uma necessidade.

Algumas flexibilizações na parte burocrática dos processos já estão acontecendo, devido a este momento de pandemia, como, por exemplo, a não-exigência de documentos originais em meio físico na liberação das cargas no despacho aduaneiro, amparada pelo Decreto n° 10.278, de 18 de março de 2020. Além disso, o governo zerou o imposto de importação, de acordo com a Resolução nº 17 de 17 de março de 2020, para itens de combate ao Coronavirus, e facilitou a importação, permitindo que após o registro da declaração de importação, o importador poderá obter a entrega dos produtos antes da conclusão da conferencia aduaneira. Isso tudo traz mais dinamismo num setor marcado pelos desafios da burocracia.

Por outro lado, algo que não irá mudar, é a necessidade de se diferenciar e criar valor para os produtos. As empresas que se prepararem para a retomada da economia e que souberem aproveitar as oportunidades que serão criadas, adaptando-se para as mudanças que essa situação acarretará, irão se destacar no mercado global.

Fazendo um link com a mais recente postagem que fizemos no blog da Pisani , em um momento em que é permitido o trabalho home office, na maioria das organizações, já se ouve que este formato de trabalho amplia ainda mais seu conceito para o chamado “anywhere office”: atendimento ao cliente em qualquer lugar do mundo, utilizando a internet, na “palma da mão” e em qualquer horário.

Essa é uma realidade irreversível no mundo dos negócios, e em especial, nos negócios internacionais, por conta da diferença de fuso horário entre os países, velocidade dos negócios e da concorrência global.

Monique Susin Perosa

é Analista de Comércio Exterior, na Pisani Plásticos S/A. 

https://www.linkedin.com/in/monique-susin-perosa-a56b033a/

Deixe um comentário

Compartilhe este post

Share on linkedin
LinkedIn

Linkedin-in

Posts recentes

Visite nossas redes sociais


Facebook-f


Instagram


Youtube


Linkedin-in

Vou trabalhar em home office! E agora?

Vou trabalhar em home office! E agora?

A Pisani Soluções em Plástico convidou o consultor Adriano Abreu para dar dicas de como fazer do home office um ambiente eficaz.

Você sabe quantos brasileiros trabalham em home office, como prática de modelo de negócio? Um levantamento divulgado em 2019 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostra que, em 2018, 3,8 milhões de brasileiros trabalhavam dentro de casa, o chamado home office. Trata-se do maior contingente de pessoas nesta condição de trabalho, no Brasil, e com patamares semelhantes em 2019.

Com a pandemia do Covid-19, um número ainda mais de pessoas, ao redor do mundo, teve que experimentar esse modelo de trabalho, mesmo que de forma temporária. Passado o momento de crise que estamos vivendo, ficará certamente a experiência de uma jornada em casa, que exige uma mudança de comportamento para garantir produtividade e bem-estar tanto para o profissional, quanto para a família, que também está de quarentena.

A Pisani Soluções em Plástico convidou o especialista em Desenvolvimento Humano e Organizacional, Adriano Abreu, para dar dicas importantes de como criar uma rotina no trabalho em home office. Com exclusividade para o Blog ele passou as seguintes orientações:

Dicas para o home office eficaz:

1ª – Monte o seu escritório – se você não está habituado a trabalhar em casa, o ideal é escolher um cômodo onde terá mais tranquilidade e conseguirá manter o foco do seu trabalho sem as interrupções comuns das pessoas da sua família.

2º – Defina bem o seu horário de trabalho – um dos maiores erros de quem está atuando em home office é achar que por estar em casa pode trabalhar a qualquer hora. Manter a rotina do escritório é uma boa opção. Uma dica importante é fazer uma pausa durante os momentos de trabalho.

Existe a Técnica Pomodoro que consiste em marcar em um cronômetro 45 minutos, onde você coloca todo foco e energia no que está fazendo e quando o cronômetro toca o alarme você faz uma pausa de 15 minutos. Sua produtividade irá aumentar bastante.”

 

Benefícios da Técnica Pomodoro

  • Aumenta o foco e a concentração ao reduzir as interrupções;
  • Aumenta a consciência das suas decisões;
  • Aumenta a sua motivação e a mantém constante;
  • Torna grandes projetos menos assustadores de serem realizados;
  • Encoraja a sua decisão de agir para concluir pequenos passos;
  • Alivia a ansiedade.
  •  

 

3º – Mantenha o autocuidado – Não deixe de cuidar de você. Logicamente, não há a necessidade de você trabalhar de terno e gravata, mas é importante você seguir a rotina que tinha antes do confinamento. Se você tomava banho ao levantar, preparava seu café e depois seguia para sua empresa, todo esse ritual deve ser mantido, isso te aproximará da sua rotina anterior e trará uma boa sensação para o seu cotidiano.

4º – Positividade e otimismo – durante a pandemia, a tendência é que estejamos ligados 24 horas nas desgraças que os jornais estão divulgando.

 

“Não, minha ideia não é deixá-los alheios aos fatos, mas sim orientar para que as informações sejam consumidas com cuidado uma ou duas vezes ao dia. Se você tem dificuldade de manter a concentração e o otimismo, durante o uso da Técnica Pomodoro, coloque músicas no YouTube ligadas à concentração.”

 

Para ajudar você ainda mais a tornar a sua rotina em home office produtiva, a Pisani Soluções em Plástico listou diversas plataformas que oferecem ferramentas de gestão de equipes à distância ou para conferências online. A boa notícia é que nesta quarentena imposta mundialmente pelo Covid-19, estas plataformas estão abrindo diversas funcionalidades pagas para que você possa usufruir delas (e fazer uma degustação, claro!) neste período, sem custo.

Confira as principais plataformas online com serviços gratuitos nesta quarentena:

 

 

Adriano  Abreu

“Minha principal função é inspirar, inovar, provocar, identificar e desenvolver talentos com o DNA das empresas despertando diferentes formas de pensar e agir.” Adriano Abreu é Mestre em Administração de Empresas pela Universidade de Caxias do Sul. 

https://www.linkedin.com/in/adrianoabreu/

Deixe um comentário

Compartilhe este post

Share on linkedin
LinkedIn

Posts recentes

Panorama da economia para 2020

Panorama da economia para 2020

O ano de 2020 já iniciou e a área comercial da Pisani Plásticos S/A está com seu planejamento estratégico desenhado com base em importantes estudos de
panorama da economia brasileira e internacional. Batizado pelos especialistas do setor de “agora vai”, o ano de 2020 promete números mais favoráveis, como mostra ilustração acima.

Para 2020 são mantidas as projeções favoráveis ao desempenho do setor
agropecuário. No segmento industrial, o desempenho favorável é dado aos bens de consumo não-duráveis e ao setor de consumo de bens duráveis como os
eletrodomésticos. Importante destacar que para todos esses setores, a Pisani possui soluções em caixas plásticas que facilitam a logística, transporte e a armazenagem. No segmento agropecuário as soluções se estendem também ao bem-estar animal, com os pisos poliuso e com as gaiolas de plástico.

Renda, inflação e desemprego

A renda da população não deverá apresentar incremento expressivo. Grande parte dos dispêndios estarão voltados para os setores de bens de consumo.  

Este comportamento deverá estimular o setor de vendas a varejo da sociedade. É possível que o segundo semestre do ano, graças a circulação de fontes de recursos, como o do FGTS, seja melhor do que o primeiro.

A inflação, em consequência do ligeiro aumento da atividade econômica, deixará de apresentar a tendência de queda. Espera-se, em consequência deste
comportamento da inflação, o Banco Central do Brasil reflita uma postura mais favorável a taxas de juros mais baixas e uma menor preocupação com a alta dos
preços, favorecendo de forma pró ativa o crescimento econômico. O menor juro básico da economia colabora com a redução da dívida interna do país. Espera-se
que, simultaneamente a estas expectativas, as instituições de fomento do país venham a assumir um papel relevante no financiamento de obras essenciais
para a melhoria da infraestrutura do país. Algumas privatizações poderão ocorrer para suprir com alguns recursos o governo federal e os estaduais.

O desemprego deve apresentar uma ligeira redução, graças ao melhor desempenho do PIB, porém, sem nenhuma redução significativa, pois o crescimento do país não será, também, muito significativo.

Cenário Internacional

Do lado internacional, os efeitos positivos do crescimento da economia europeia, chinesa e dos Estados Unidos podem vir a causar muitas oscilações sobre a
economia mundial. A guerra comercial China e Estados Unidos continuará. Ainda deve ser somado o efeito Brexit. Os países da América Latina, com instabilidades latentes, também podem agir colaborando na redução dos investimentos externos destes países. Esta redução poderá atingir também o Brasil.

Assim, o cenário externo- no seu conjunto- cria grandes volatilidades e possivelmente maiores do que as observadas em 2019. Estes efeitos somados aos ajustes da economia doméstica trarão reflexos sobre a taxa de câmbio e bolsa de valores. É grande a probabilidade de que a renda variável continue atraindo
apenas os investidores domésticos para o setor.

Para ter informações completas do relatório do governo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada – IPEA – acesse este link:
http://www.ipea.gov.br/cartadeconjuntura/index.php/category/sumario-executivo

Deixe um comentário

Compartilhe este post

Share on linkedin
LinkedIn

Posts recentes

Você sabe o que é “economia circular?”

Você sabe o que é “economia circular?”

Muitas vezes escutamos algumas expressões que ganham força, mas que não sabemos explicar com precisão do que se trata. Então, se você já tiver escutado várias vezes assuntos sobre “economia circular”, mas não tiver domínio total do que se trata, não se preocupe! Vamos te explicar em seguida!

A primeira definição básica que você encontra no manifesto da fornecedora de matéria-prima da Pisani, a Braskem, é que na “Economia Circular nada se desperdiça, tudo se transforma”.  

O modelo econômico ‘extrair, transformar, descartar’ da atualidade está atingindo seus limites físicos. A economia circular é uma alternativa atraente que busca redefinir a noção de crescimento, com foco em benefícios para toda a sociedade. Isto envolve dissociar a atividade econômica do consumo de recursos finitos, e eliminar resíduos do sistema por princípio. Apoiada por uma transição para fontes de energia renovável, o modelo circular constrói capital econômico, natural e social.

Fundação Ellen MacArthur

Fomos buscar a citação acima na Ellen MacArthur Foundation, estabelecida em 2010 com a missão de acelerar a transição rumo a uma economia circular. Desde a sua criação, a Fundação se tornou uma das líderes globais de pensamento, inserindo a economia circular na agenda de tomadores de decisão em empresas, governos e na academia.

Para saber mais acesse: https://www.ellenmacarthurfoundation.org/pt/economia-circular-1/conceito

A economia circular se baseia em três princípios:

· Eliminar resíduos e poluição por princípio

· Manter produtos e materiais em ciclos de uso

· Regenerar sistemas naturais

 

Nada se perde tudo se transforma…

Ser sustentável é aplicar todas as soluções para não prejudicar o meio ambiente. Nós, da Pisani, trabalhamos apenas com embalagens plásticas retornáveis, ou seja, quando as embalagens saem de uso – depois de um longo ciclo de vida -, elas retornam para a fábrica, onde são recicladas e se transformam em novos produtos.

As inovações em plásticos são essenciais para permitir que a sociedade eleve os padrões de qualidade de vida e melhore a sustentabilidade por meio de produtos que evitem o desperdício e aumentem a eficiência. É por isso que é amplamente reconhecido que os plásticos têm um papel crucial a desempenhar na entrega de um futuro mais sustentável. Por meio de sua combinação exclusiva de leveza, baixo custo e durabilidade, os plásticos já contribuem para a redução de emissões de gases de efeito estufa e o uso mais eficiente de recursos naturais, como energia e água. O plástico também assegura a produtividade agrícola, a segurança alimentar e a higiene hospitalar. É utilizado em diversos setores para aplicações cotidianas.

Como resultado de sua versatilidade e capacidade de inovação, os materiais plásticos também são mais adequados para apoiar as tecnologias sustentáveis inovadoras.

Junto às indústrias como a Pisani Soluções em Plástico, a Braskem está comprometida em apoiar o crescimento da reciclagem em todos os lugares em que opera, a partir de ações que desenvolvam a economia circular, ou seja, como projetamos, fabricamos, utilizamos, reciclamos, recuperamos ou reutilizamos os plásticos.

No site da Braskem você também encontra esta reflexão importante sobre as inovações em plástico. https://www.braskem.com.br/economiacircular

A ideia da Economia Circular vai além do conceito dos três “R”s – reduzir, reutilizar e reciclar, isso porque ela reúne, pelo menos na teoria, o modelo sustentável com o ritmo tecnológico e comercial do mundo atual.

 

Economia Circular: conceitos e estratégias para fazer negócios de forma mais inteligente, sustentável e lucrativa

 

Catherine Weetman (autoria), Afonso Celso da Cunha Serra (tradução).

Em 2030, estima-se que a população mundial terá alcançado o patamar de 9 bilhões. Isso significa que serão quase 3 bilhões a mais de pessoas consumindo uma variedade de produtos e serviços. Para lidar com a eminente exaustão de vários recursos naturais, aliada aos problemas decorrentes do excesso de resíduos gerados por um consumo dessa magnitude, impõe-se um novo paradigma de negócios: a economia circular.

Em Economia Circular: conceitos e estratégias para fazer negócios de forma mais inteligente, sustentável e lucrativa, Catherine Weetman estabelece as bases deste conceito que vem ganhando força em todo o mundo. A autora oferece uma perspectiva estratégica para que empresas e organizações se ajustem a fim de enfrentar essa nova realidade.

Indo muito além do conceito tradicional de sustentabilidade, passando por temas como economia compartilhada e outras questões pertinentes, Economia Circular é um verdadeiro mapa de oportunidades para as próximas décadas. Este é o primeiro livro em língua portuguesa com a devida extensão e profundidade que um tema dessa relevância merece.

A economia circular é a nova arena na qual os mais diversos tipos de negócios estarão inseridos num futuro próximo. Portanto, esta é uma leitura indispensável para todos os profissionais e estudiosos do universo corporativo.

Páginas: 512 • Formato: 16 x 23 cm • Acabamento: Capa Dura • Título original: A Circular Economy Handbook for Business and Supply Chains • ISBN: 9788551305140 • Código: 13802 • Autêntica Business • Edição: 1 • Mês/Ano de publicação: 05/2019

 

 

Deixe um comentário

Compartilhe este post

Share on linkedin
LinkedIn

Posts recentes

Pisani: Pesquisa de Satisfação supera índice da indústria

Pisani: Pesquisa de Satisfação supera índice da indústria

Caixa Garrafeira Engradado Coca-Cola 2403 LACR 3G

A nota conquistada pela Pisani demonstra que a empresa está acima do benchmark do setor. O índice da Pisani de NPS 75 supera em mais de 12 pontos a média do segmento. Mas, afinal, você sabe que índice é esse?

De uma escala de 0 a 10, qual a probabilidade de você indicar uma determinada empresa para um amigo ou parceiro de negócios? Por quê? Pois bem, se você já entrou em uma loja da Cacau Show, por exemplo, vai se deparar com um totem fazendo essa mesma pergunta. E não será apenas lá. A metodologia NPS, ou Net Promoter Score, de Fred Reichheld, desenvolvida em 2003, é hoje adotada por grandes empresas para medir a satisfação e a lealdade de seus clientes. E a Pisani Soluções em Plástico, com três unidades e liderança latino-americana na fabricação e comercialização de caixas, gaiolas, garrafeiras, bandejas, pisos e móveis em plástico já vem aplicando esta Pesquisa de Satisfação, a cada dois anos, nos seus clientes. Esse intervalo é o tempo recomendado para empresas que atuam B2B. Isso porque, é preciso que haja mais tempo de corrigir situações ou implementar melhorias que os clientes venham a apontar nas respostas à pesquisa.

Caixa para Indústria Euro 6421

Especialista nessa área, a empresa Artéria Fluxos Inteligentes de Relacionamento, de Caxias do Sul/RS, aplica a metodologia nos clientes da Pisani e o relatório de coleta da mais recente pesquisa realizada, datada de dezembro de 2018, aponta a conquista de NPS 75 – exatos 13 pontos acima do benckmark do setor industrial, que é de NPS 62, conforme o site da Customer Gauge (https://npsbenchmarks.com).

“A Pisani Plásticos, com este índice, está posicionada entre as melhores notas do setor de manufatura e demonstra a excelente relação que possui com os clientes”, afirma Charles Dalpiccol, da Artéria Fluxos Inteligentes de Relacionamento.

A base de dados utilizada para esta pesquisa de satisfação remonta a um total de 3 364 contatos que são atendidos por 27 representantes diferentes. “Conquistamos algumas notas elevadíssimas, como no segmento de supermercados, que apresenta um índice de recomendação da Pisani Plásticos com um NPS 86. Encostado nesse número temos os frigoríficos, indústria de bebidas e indústria geral”, comenta o diretor comercial Vasco Bosi, da Pisani. Veja alguns produtos que ilustram as boas soluções que a Pisani entrega aos seus clientes no Brasil e no exterior.

Gaiola 100 Frigorífico

 

A próxima pesquisa será realizada em 2020 e a Pisani Soluções em Plástico está confiante de que os resultados confirmarão a posição de liderança da empresa no segmento de soluções em plástico.   

______________________________________________

Para saber mais sobre o Net Promoter Score, recomenda-se a leitura do livro “A Pergunta Definitiva 2.0”, de Fred Reichheld.

 
 

Deixe um comentário

Compartilhe este post

Share on linkedin
LinkedIn

Posts recentes